Mané das Letras

Onde não cabe PALAVRA, o SILÊNCIO é a melhor opção.

Textos


No crepúsculo de encantos
O Sol escarnecido
Zomba da natureza em fogo.

O alaranjado do horizonte
Traduz lamento do dia
Fulminando o entardecer.

Enquanto o pássaro sinistro
Com suas asas negras da noite
Pousa nas cristas dos morros.

A noite cai serena
Trazendo um céu de estrelas rutilantes
Recriando doce oásis de encantos.

Dir-se-á: o mar é saia revolta em espumas
As estrelas são piscares de prata
E a Lua desconfiada flutua.

Confirmar-se-á: o arrepio do vento dançarino
Espalhando úmido sereno
No luto fechado da noite.
Mané das Letras
Enviado por Mané das Letras em 15/03/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras